História das Progressivas

MENINAS, ANTES DE TUDO... NÃO TENTEM ISSO EM CASA! VOCÊS PODEM FICAR CARECAS! RSRS.

Surgimento das Progressivas

As Progressivas surgiram por volta de 1998 no Rio de Janeiro e foi descoberta por uma cabeleireira que estava de visita em um Haras. Vendo o tratador aplicando um produto nos cavalos ela ficou curiosa e resolveu perguntar ao tratador o que seria aquilo que ele passava nos cavalos. Foi quando ele disse a ela que era formol e servia para dar mais força e brilho nos cascos e pêlos dos cavalos.


Uhmmmmmm! Já viu neh?

Então ela resolveu fazer o teste em cabelos humanos, mas ela não acertou na primeira mistura e continuou a insistir até que chegou a mistura mais adequada e que dava melhores resultados, e assim começou a comercializar o produto em seu salão de cabeleireiro, e foi um sucesso, pois este produto era compatível com qualquer tipo de química, fosse ela coloração metálica ou relaxamento.

Como tudo que faz sucesso fica na mira do tira...

Após algum tempo de uso no mercado houve uma morte relacionada com o seu uso, uma dona de casa de Goiás chamada Maria Ení morreu depois um alisamento, o que acarretou em processo de proibição do uso destes produtos em excesso limitando em 0,02% de formol [fonte:Terra 15 de março de 2010.) 

A finalidade do formol seria dar uma forma lisa aos cabelos de maneira progressiva, como o nome sugere, mas como nós, mulheres, sempre queremos MAIS por MENOS, a idéia de progressiva tomou outra forma em que as clientes entendiam que bastaria uma única aplicação para se ter o resultado liso nos cabelos. Com isso, teve que se usar mais formol nos produtos pois as mulheres passaram a ter cada vez mais estas LOUCURAS, dando praticidade no dia a dia.

Cada dia nasce um novo nome e surge uma nova escova que nem sempre os fabricantes especificam ou dão a orientação a esta ou aquela nova progressiva, o que deixa tanto os cabeleireiros como as clientes confusas na hora de escolher o melhor produto.



Para que um produto possa ser confiável e de qualidade deve seguir as orientações e certificações da ANVISA, os critérios são: Segurança na fabricação, distribuição, venda e consumo de produtos farmacológicos e de perfumaria. Por isso só compre produtos com a certificação da ANVISA consulte o site www.anvisa.gov.br.

Este Post teve a colaboração da nossa seguidora Carla Lima Hardman que nos enviou gentilmente esta matéria. 


E você? Tem algo interessante para compartilhar conosco? Envie para fatima@personalbuyers.com.br

Beijos 

Fátima Moral

Fonte: Jooluy

4 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário! Logo ele será publicado.